Clinica Popular

Exames Laboratoriais Sorocaba Exame Toxicológico Sorocaba Eletrocardiograma Sorocaba



Clinica Popular em Sorocaba Endocrinologista Sorocaba Ginecologista Sorocaba



Exames Laboratoriais Sorocaba Exame Toxicológico Sorocaba Eletrocardiograma Sorocaba



Clinica Popular em Sorocaba Endocrinologista Sorocaba Ginecologista Sorocaba



Descubra para que servem os principais exames do checkup


Descubra para que servem os principais exames do checkup Exames Laboratoriais Sorocaba Exame Toxicológico Sorocaba Eletrocardiograma Sorocaba

O checkup avalia o estado de saúde do paciente antes da presença de sintomas. Quem não aprecia comparações que nos perdoe, mas o checkup nada mais é do que a bola de cristal do médico. É por meio de exames que ele vislumbra o provável futuro do paciente e, se preciso, intervém no presente para lhe proporcionar um destino melhor.

 

Conheça então oito exames que são importantes para um checkup inteligente e entenda melhor qual é a finalidade de cada um deles:

 

1. Pressão arterial

· O que é?
O médico usa um aparelho para conferir a pressão do paciente.

· Quando fazer?
O exame costuma ser feito a partir dos 18 anos – mas deveria ser requisitado ainda na infância. Precisa ser repetido, no mínimo, uma vez por ano.

· Por quê?
Detecta alterações na pressão arterial e diagnostica a hipertensão, fator de risco para infartos e derrames.

 

2. Hemograma

· O que é?
É o exame de sangue clássico, que registra o estoque de células vermelhas e brancas.

· Quando fazer?
É solicitado desde a infância. A menos que haja algum motivo, pode ser refeito anualmente.

· Por quê?
Sinaliza o estado do sangue e do sistema imunológico, acusando problemas como infecções.

 

3. Colesterol e glicemia

· O que são?
Testes sanguíneos que avaliam a concentração de gorduras e de açúcar na circulação.

· Quando fazer?
Podem ser receitados desde a infância, mas depois dos 18 anos a indicação ganha ainda mais consistência. O prazo para repeti-los varia. Depois dos 40, vale uma picada anual.

· Por quê?
Flagram altos níveis de colesterol e triglicérides, que favorecem as placas capazes de obstruir os vasos. Já a medida da glicose acusa a propensão ao diabete.

 

4. Eletrocardiograma e teste ergométrico

· O que são?
Ambos se valem de eletrodos sobre o peito para apurar o risco cardiovascular. O primeiro é feito com o paciente deitado e o segundo, em movimento.

· Quando fazer?
Podem ser solicitados ainda na casa dos 20 anos e se tornam obrigatórios após os 40 – a partir dessa idade, o repeteco deve ser anual.

· Por quê?
Ambos inferem a presença de entupimentos nas artérias, fenômeno que precede ataques cardíacos.

 

5. Ecocardiograma

· O que é?
É o ultrassom do coração.

· Quando fazer?
Pode ser receitado na casa dos 20 anos, mas também se torna crucial a partir dos 40. A partir de então, costuma ser refeito anualmente.

· Por quê?
O método permite avaliar a capacidade de contração do músculo cardíaco, bem como as válvulas desse órgão, alertando para possíveis disfunções.

 

6. Papanicolau

· O que é?
O médico raspa células do tecido que reveste o colo do útero. Esse material é analisado no microscópio.

· Quando fazer?
No começo da vida sexual da mulher. Deve ser feito anualmente.

· Por quê?
Identifica alterações no colo do útero, bem como lesões pelo vírus HPV, que podem abrir caminho para o câncer.

 

7. Mamografia

· O que é?
A mulher é submetida a uma máquina que fornece imagens das glândulas mamárias, o que permite averiguar alterações na região.

· Quando fazer?
O exame deve ser feito anualmente a partir dos 40 anos. Se houver casos de câncer na família, a investigação começa mais cedo, por volta dos 30.

· Por quê?
O exame é essencial para a detecção precoce do câncer de mama, um dos mais comuns no sexo feminino.

 

8. Dosagem dos hormônios da tireoide

· O que é?
Exame de sangue que calcula hormônios como o TSH e o T4.

· Quando fazer?
É solicitado sobretudo às mulheres, que sofrem mais de distúrbios na glândula. Pode ser prescrito desde a juventude, com periodicidade variável.

· Por quê?
Denuncia disfunções como o hipo e o hipertireoidismo, que repercutem no corpo inteiro.






Compartilhar: